Lama de Barragens Traz Danos Ambientais

 Em 5 de novembro, com os rompimentos das barragens de Fundão e de Santarém - distrito de Bento Rodrigues, em Mariana - Minas Gerais, pertencentes a mineradora Samarco, ocorreu a liberação de 62 milhões de métros cúbicos de rejeitos de minério de ferro e água, em forma de lama, devastando e provocando enormes danos ambientais para a região.
A Lama atingiu pessoas, animais, plantas, rios, nascentes e vasta extensão do distrito de Bento Rodrigues.

 "Comparado ao mercúrio, por exemplo, esse rejeito não é tóxico, já que é formado basicamente por sílica. Ninguém vai desenvolver câncer, nada disso. O risco não é para o ser humano, mas para o meio ambiente", afirmou o professor de geologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) Cleuber Moraes Brito - consultor na área de meio ambiente e mineração.
 "Essa lama avermelhada deve causar danos em todo o ecossistema da região, impactando por anos seus rios, fauna, solo e até os moradores, no sentido de que o trabalho deles, como a agricultura, pode se tornar impraticável." - concluiu o professor Cleuber.
 Segundo os especialistas, a restauração da região degradada pode demorar de cinco a 10 anos, mas antes de tudo é necessário realizar um levantamento de impacto ambiental, com a retirada da lama o mais breve possível, sobretudo mediante escavação.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço a sua visita e seu comentário.

Voltar ao topo